Eu sei o que vocês esperam de um relacionamento, eu também pensava assim. Mas você quer um amor perfeito? Só se for a flor! Cada vez mais aumenta o número de pessoas insatisfeitas no amor. São homens e mulheres, em sua maioria gente bacana, tentando encontrar alguém com quem possam compartilhar o que tem de melhor. Mas, como uma ironia do destino, acabam não ficando juntas, por causa da busca pela perfeição.

É óbvio que ninguém é obrigado a ficar com uma pessoa contra a própria vontade. A impossibilidade da perfeição não significa que você deva se acorrentar eternamente ao primeiro que aparecer. Se você acha que o seu relacionamento não tem mais conserto, não tenha medo de sair dele. Existe, sim, vida após o namoro/casamento, por mais que pareça impossível. O sofrimento de encerrar uma relação que chegou ao fim nunca vai ser maior do que as possibilidades que a vida pode te apresentar dali em diante.

Porém, se ainda houver uma solução para o relacionamento, se ainda houver o amor, o companheirismo, o tesão, mas eles estiverem escondidos pelas tortuosidades da vida, você precisa correr atrás também. Não jogue a responsabilidade no tempo ou no outro, toda melhoria tem de começar em algum lugar. É preciso olhar pra dentro, buscar qual o nosso papel nos problemas que estão desestabilizando a vida a dois.

Temos que estar conscientes de que os defeitos são inerentes ao ser humano. Todos nós erramos, e parte do processo de alcançar um relacionamento ideal é entender que não dá para projetarmos todas as nossas fantasias de um par perfeito no nosso companheiro. As pessoas, geralmente, não mudam quando se relacionam. Quando a pessoa tem consciência das suas limitações, ela se adapta para construir uma vida conjugal que seja boa para ambas. E isso vale pra você também, pros seus erros, manias e idiossincrasias.

Hoje não vamos falar do parceiro, e sim de nós mesmas. Não adianta vir aqui no site, ler todas as minhas dicas, e ficar super motivada para mudar o parceiro ou a si própria. Ninguém muda ninguém. Essa motivação não pode durar uma semana, ela tem que durar e, para isso, nós temos que nos exercitar diariamente. Temos que aproveitar a motivação, junto com a ação, para daí sim acontecer. Ao invés de pensarmos no que o outro não está fazendo, vamos pensar no que nós não estamos fazendo, pois a mudança tem que começar de algum lugar.

Não tente adequar o seu par à sua fantasia. Ele não vai ficar mais alto, mais moreno, mais eloquente, mais inteligente. Não procure um amante (mesmo que imaginário) cada vez que encontrar algo de errado no seu par. Deixe seu amante na sua imaginação e construa uma experiência emocional significativa com a pessoa que está ao seu lado. Amar é escolher o outro todos os dias.

Vamos lembrar de quando vocês ficavam com os parceiros de vocês. Como vocês se arrumavam? Estavam cheirosas? Maquiadas? E o cabelo? E a lingerie? Daí começa a namorar ou casa, e o que acontece? Puff! Vive com o cabelo pra cima todo emaranhado, com qualquer roupa, dorme de camiseta furada. Tente lembrar o que você acha que fez com que o seu parceiro ficasse com você, o que o atraiu. Se foi a aparência, o papo, enfim, ele quer isso. Ele também não pode mudar. Até porque o homem tem o instinto primitivo da conquista. Dá tudo de si para ficar e depois, pronto, não precisa mais. Nós mulheres gostamos de ser conquistadas e isso tem de ficar claro, mostre pra ele. Temos de deixar essa chama acesa.

Se você abre um empresa com um sócio, você vai dar tudo de si, sua energia, seu fôlego, não é verdade? O relacionamento é uma empresa, você faz uma aliança com outra pessoa e daí, quando está ruim, é só separar. E o melhor de si? E o melhor que você pode ser? Você coloca em um relacionamento muito mais que dinheiro. São valores, princípios, planos. E daí você desiste? Você pode estar no pior do seu relacionamento, com o mundo caindo, mas, só acaba, quando termina. Até lá, faça tudo o que puder, sensação de dever cumprido. Isso, claro, caso você queira continuar nesse relacionamento.

É claro que nenhuma relação é um mar de rosas, todos temos problemas, mas até nessas horas podemos contornar. Na hora de uma briga, quanto mais você gritar, menos será ouvida. Deixe passar e, depois, com mais calma, você fala. Tenha diálogos diários, e não embates, com o seu parceiro. Deixe isso para o UFC. Tenha pontos de vista, não brigas. Eu era assim, meu marido falava, e eu queria falar mais alto. Quando via estávamos os dois brigando e eu nem lembrava mais do que ele havia falado, e vice versa. E, às vezes, é por bobeira que não vale a pena. Então, vamos parar de medir o sentimento, e o relacionamento, pelo sofrimento. Vamos pensar em coisas boas, em memórias positivas sobre o relacionamento, Tente se lembrar de uma viajem, um jantar, qualquer momento bom que tenha passado.

O diálogo é importante também na relação sexual. Não existe nada mais íntimo em um relacionamento do que a relação sexual. Pra ela ser plena, um tem que conhecer o outro. Nós mulheres, infelizmente, já crescemos com a sensação de que é feio falar, tocar na vagina. Que, aliás, tem todos os nomes menos vagina. O pênis é sempre pênis, ou peru, e o homem é incentivado a tocar, a mostrar sua virilidade. Nós crescemos com a sensação de que é errado a mulher se conhecer.

Temos que mudar isso. Temos que nos conhecer, nos estimular, brincar com nosso corpo. Saber se gostamos de algo ou não. O nosso prazer não pode estar nas mãos do parceiro, não é responsabilidade dele. Repare se o homem não fala tudo que sente, se está bom ou ruim. Temos que fazer o mesmo, nos comunicarmos com nosso parceiro. Para a mulher, 80% do relacionamento se baseiam em:
* Companheirismo
* Cumplicidade
* Carinho
* Fidelidade
* Atenção
Os outros 20% baseiam-se na relação sexual. Para o homem ocorre o contrário, 80% do relacionamento baseiam-se em sexo, e os outros 20% baseiam-se em todo o resto. Você precisa entender isso e usar a seu favor.

Não negligencie a importância do beijo e do olhar. O olhar e o toque também comunicam. Palavras não são a única maneira de você demonstrar seus sentimentos e sensações pro seu parceiro. Aproximadamente 80% dos casais casados não beijam mais na boca no dia a dia, no máximo na relação sexual. Está errado. Quando seu parceiro chegar, tasque um beijo e olhe nos olhos dele. Diga que está com saudade.

O seu parceiro tem de saber quem está do lado dele, se é uma parceira para vida, ou uma neurótica, ciumenta, etc. Quem é você? Neurótica louca? Mulher pra vida toda? Como você era no início? Sempre cheirosa, sempre bem vestida? Como resolviam suas diferenças? COMO VOCÊ É HOJE? Quem é você no relacionamento, qual o seu papel?

O Seu parceiro quer aquela mulher cheirosa, bem vestida e bem disposta de volta. Não faz mal ser o sexo frágil às vezes. O amor precisa ser demonstrado diariamente, nas ações rotineiras.

X